Museu Republicano

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Museu Republicano

Museu Republicano "Convenção de Itu"

E-mail Imprimir PDF

 

historia_03_r

 

Visitação
De terça a domingo, das 10h às 17h.
Entrada Gratuita
Endereço
Rua Barão de Itaim, 67
Centro - Itu - SP

ATAVOS: um reencontro de ancestralidades perdidas

O projeto ATAVOS buscou iluminar as memórias e a cultura negra por meiode registros fotográficos feitos no século XIX e de registros recentes demulheres negras com mais de 50 anos. Para tanto, a fotógrafa Pola Fernandez, à procura de uma conexão entrepassado e presente, apresentou fotografias do século XIX de escravas de origemafricana ao grupo de mulheres negras da terceira idade da cidade de Salto ecada uma livremente escolheu uma foto com que se identificasse e que possuíssecaracterísticas semelhantes às de suas ancestrais. Posteriormente cada mulherdo grupo foi fotografada por Pola Fernandez próxima ao registro do século XIX escolhido.O resultado convida a uma reflexão acerca da trajetória da população negrabrasileira.

Cardápios e banquetes na Primeira República

Nas décadas iniciais da República brasileira (1889-1930), os banquetes tiveram papel de destaque  para selar alianças políticas, firmar negócios e homenagear figuras ilustres, em geral ao som de orquestras. Contavam com cardápios ricamente elaborados em termos gastronômicos e gráficos que revelavam, por meio do conteúdo, os alimentos privilegiados em determinadas ocasiões, as formas requintadas de preparo, os tipos de utensílios dos serviços de mesa a serem utilizados pelos convidados.

Dada a importância social e política que revestia esses momentos de convivência social, era comum que seus convidados e participantes guardassem os cardápios como recordação. Como exemplo, temos a coleção de cardápios do arquivo pessoal do ex-presidente da República, Washington Luís, guardada no Museu Republicano “Convenção de Itu”, núcleo central para a montagem desta exposição.

 

Educação e escolas na Primeira República

A exposição Educação e escolas nas décadas iniciais da República é composta de livros didáticos, livros de matrícula, livros de atas de exames, jornais e fotografias das coleções Washington Luis e Grupo Escolar Cesário Motta, pertencentes ao acervo do Museu Republicano “Convenção de Itu”.

Os diversos materiais guardam ricas informações sobre aspectos da renovação educacional na primeira republica brasileira, relacionados  aos programas de ensino, métodos pedagógicos, práticas cívico-militares, materiais didáticos e organização administrativa que foram implantados pelos republicanos nos estabelecimentos escolares paulistas em fins do século 19 e inícios do 20.

 

Itu em fotografias e postais

A exposição Itu em fotografias e postais foi concebida a partir da pesquisa de mestrado de André Luís de Lima, Imagens da cidade: a evolução urbana de Itu através da fotografia, defendida na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo em 2014.

O rico material exposto - fotografias, postais, aquarelas, jornais, negativos de vidro e máquina fotográfica – é composto pelos acervos do Museu Republicano “Convenção de Itu”, da Biblioteca Pública Municipal Professor Olavo Valente de Almeida, do Centro Histórico do Colégio São Luís e de colecionadores de imagens da cidade de Itu, em vários momentos de sua história.

Os originais e reproduções selecionados trazem informações sobre os primeiros registros fotográficos de Itu; o surgimento, padrões e a utilização dos bilhetes e cartões postais; as coleções de casas editoriais e de fotógrafos que atuaram na cidade e, ainda, as transformações urbanas, flagradas por diferentes máquinas fotográficas até a década de 1960.

 

De casa a Museu: A formação do Museu Republicano 1923-1946

O sobrado que atualmente sedia o Museu Republicano “Convenção de Itu” pertenceu a diversas famílias ituanas até se transformar em museu em 18 de abril de 1923, data de sua inauguração. Entre as famílias proprietárias do edifício destaca-se a de Carlos Vasconcellos de Almeida Prado que, em 18 de abril de 1873, sediou a Convenção Republicana de Itu. A exposição trata desta transformação por meio de textos e fotografias, mas também, de algumas práticas sociais ligadas à unidade doméstica de famílias ricas ituanas, moradoras do Sobrado.

No núcleo “Coisas encontradas no Jardim”, formado por fragmentos arqueológicos encontram-se os objetos de uso doméstico como louças e faianças; higiene, como escova de dentes; alimentação, como os ossos de mamíferos e aves além de materiais de construção como tijolos e telhas, coletados na área do jardim do Museu Republicano, antigo quintal da casa, durante a reforma do edifício em 2007.  A pesquisa foi realizada de acordo com a portaria no. 257, do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional ( 20/08/07).

 

A pintura no piano: indícios de Miguel Dutra, artista de Itu

Numa antiga alcova da casa (pequeno cômodo sem janelas) estão expostas várias reproduções das aquarelas do artista ituano Miguel Dutra, que registrou em suas pinturas lugares de Itu e de outras cidades da antiga Província de São Paulo, nos anos de 1840, além de um interessante piano de fabricação artesanal, que traz uma pintura  atribuída a Miguelzinho Dutra.

O visitante é convidado a examiná-la e compará-la com outras pintadas pelo artista,  reproduzidas na parede. O próprio piano pode ter sido construído por ele, que também se dedicou a esse tipo de atividade, tendo trabalhado com Antonio Venerando Teixeira, construtor de pianos em Itu no século 19, considerado como primeiro fabricante de pianos do Brasil. Dois pianos construídos por Venerando Teixeira também se encontram nesta sala de exposição.

 

Criando a Sala da Convenção

A “Sala da Convenção” foi uma das primeiras áreas de exposição  aberta ao público em 18 de abril de 1923.  Affonso de Taunay, então Diretor do Museu Paulista e do Museu Republicano, idealizou-a como um espaço para rememorar a reunião dos republicanos paulistas, ocorrida em 1873,  e que ficou conhecida como “Convenção de Itu”.

Composta por mobílias, um lustre francês de cristal e piano, recria o recinto de uma sala de visitas, aproximando o público do ambiente vivenciado pelos republicanos da segunda metade do século 19. Nas paredes, estão presentes retratos de alguns Convencionais e dos proprietários da casa em 1873.

 

mesa_r

 

 

O Museu

E-mail Imprimir PDF

MUSEU REPUBLICANO "CONVENÇÃO DE ITU"


acervo_09_r
MUSEU REPUBLICANO CONVENÇÃO DE ITU
O Museu Republicano “Convenção de Itu” é uma instituição cientifica, cultural e educacional, especializada no campo da História e da Cultura Material da sociedade brasileira, com ênfase no período entre a segunda metade do século XIX e a primeira metade do século XX, tendo como núcleo central de estudos o período de configuração do regime republicano no Brasil.
Foi criado pela Lei no.1.856, de 29 de dezembro de 1921, como extensão do  Museu Paulista da Universidade de São Paulo.
Exerce atividades de pesquisa, ensino e extensão, abordando prioritariamente três linhas de investigação condizentes com o patrimônio histórico e cultural que abriga: Cotidiano e Sociedade, Universo do Trabalho, História do Imaginário.
Encontra-se instalado em sobrado histórico, erguido nas décadas iniciais do século XIX, e que se tornou residência da família Almeida Prado. Foi nesse local que se realizou, em 18 de abril de 1873, uma reunião de políticos e proprietários de fazendas de café para discutir as circunstâncias do país e que, posteriormente, se transformou na famosa Convenção Republicana de Itu, marco originário da campanha republicana e da fundação do Partido Republicano Paulista.
Localizado em memorial nacional, o Museu não se restringe a expor acervos de diferentes tipologias – objetos, pinturas e registros textuais. Ao contrário, tal como o Museu Paulista, o Museu Republicano tem por meta o questionamento da formação histórica e cultural brasileira. Assim, procura explorar os ricos acervos que conserva, estudando-os e divulgando esses conhecimentos por meio de publicações, cursos, reuniões científicas, oficinas e atendimentos a públicos diversificados, como pesquisadores nacionais e estrangeiros, professores, educadores e estudantes de diferentes níveis. Oferece desse modo educação informal e formação acadêmica complementar, ao mesmo tempo em que, seguindo parâmetros da USP, promove o conhecimento científico do patrimônio sob sua guarda.
O Museu Republicano, atualmente, possui três sedes:
- o Museu de História, localizado em sobrado do século  XIX, aberto a visitação desde fevereiro de 2010, mas ainda em obras de restauração dos conjuntos de azulejos;
- o Centro de Estudos, localizado em imóvel conhecido como Casa do Barão, na mesma rua em que está o Museu, e que abriga a Biblioteca, a área administrativa e a área científica e de curadoria da instituição;
- o imóvel conhecido como Casa da USP, onde foram alojadas atividades de conservação e restauração dos acervos.
Museu Republicano Convenção de Itu
Rua Barão de Itaim, 67 – Centro Histórico – Estância Turística de Itu
Tel. (11) 4023 -0240   CEP 13300-160
Centro de Estudos
Rua Barão do Itaim, 140 – Centro Histórico - Estância Turística de Itu
Tel. (11) 4023 -2525   CEP 13300-160
O Museu Republicano “Convenção de Itu” é uma instituição cientifica, cultural e educacional, especializada no campo da História e da Cultura Material da sociedade brasileira, com ênfase no período entre a segunda metade do século XIX e a primeira metade do século XX, tendo como núcleo central de estudos o período de configuração do regime republicano no Brasil.

Foi criado pela Lei no.1.856, de 29 de dezembro de 1921, como extensão do  Museu Paulista da Universidade de São Paulo.

Exerce atividades de pesquisa, ensino e extensão, abordando prioritariamente três linhas de investigação condizentes com o patrimônio histórico e cultural que abriga: Cotidiano e Sociedade, Universo do Trabalho, História do Imaginário.

Encontra-se instalado em sobrado histórico, erguido nas décadas iniciais do século XIX, e que se tornou residência da família Almeida Prado. Foi nesse local que se realizou, em 18 de abril de 1873, uma reunião de políticos e proprietários de fazendas de café para discutir as circunstâncias do país e que, posteriormente, se transformou na famosa Convenção Republicana de Itu, marco originário da campanha republicana e da fundação do Partido Republicano Paulista.

Localizado em memorial nacional, o Museu não se restringe a expor acervos de diferentes tipologias – objetos, pinturas e registros textuais. Ao contrário, tal como o Museu Paulista, o Museu Republicano tem por meta o questionamento da formação histórica e cultural brasileira. Assim, procura explorar os ricos acervos que conserva, estudando-os e divulgando esses conhecimentos por meio de publicações, cursos, reuniões científicas, oficinas e atendimentos a públicos diversificados, como pesquisadores nacionais e estrangeiros, professores, educadores e estudantes de diferentes níveis. Oferece desse modo educação informal e formação acadêmica complementar, ao mesmo tempo em que, seguindo parâmetros da USP, promove o conhecimento científico do patrimônio sob sua guarda.

O Museu Republicano, atualmente, possui três sedes:
 - o Museu de História, localizado em sobrado do século  XIX, aberto a visitação desde fevereiro de 2010;
 - o Centro de Estudos, localizado em imóvel conhecido como Casa do Barão, na mesma rua em que está o Museu, e que abriga a Biblioteca, a área administrativa e a área científica e de curadoria da instituição;
 - o imóvel conhecido como Casa da USP, onde foram alojadas atividades de conservação e restauração dos acervos.
Museu Republicano Convenção de Itu
Rua Barão de Itaim, 67 – Centro Histórico – Estância Turística de Itu
Tel. (11) 4023 -0240   CEP 13300-160 
 
Centro de Estudos
Rua Barão do Itaim, 140 – Centro Histórico - Estância Turística de Itu
Tel. (11) 4023 -2525   CEP 13300-160

 

Notícias

    -
    +
    20